• E-mail
  • Atendimento (11): 3836-5353 | 3892-7829
  • Rua Ponta Porã, 1.247 - Alto da Lapa - São Paulo, SP

Sobre estudar flauta transversal

A flauta transversal, flauta transversa ou flauta orquestral, apesar de atualmente ser fabricada em metal, é um instrumento da família das madeiras pois, em sua origem, era de madeira.

Consiste em um cilindro aberto em ambas as extremidades, com um orifício por onde o músico sopra de forma perpendicular ao sentido do instrumento.

Quando este jato de ar é soprado no orifício da embocadura, o ar flui alternadamente para dentro e para fora do tubo de maneira periódica, em uma certa frequência. Isso gera vibração no ar e, consequentemente, o som da flauta.

Encontramos a flauta transversal em diversos gêneros musicais, como música orquestral, choro, samba, jazz, entre outros.

 

Dúvidas frequentes

É preciso ter a flauta para iniciar o curso?

Não, é possível iniciar o curso sem ter o instrumento. Conforme o aluno perceba seu desenvolvimento, naturalmente sentirá a necessidade de adquirir uma flauta, para poder estudar quando quiser e de forma mais intensa, garantindo assim um melhor aproveitamento das aulas.

 

Tenho o instrumento, mas não tenho um lugar para estudar. O que faço? 

A Escola de Música Expressarte disponibiliza suas salas para os alunos matriculados que quiserem praticar na escola, sem custos adicionais. Basta realizar um agendamento prévio na secretaria, em horários livres.

 

Como escolher um bom instrumento para comprar?

É preciso dar bastante atenção ao momento de aquisição de seu instrumento. Diante de tantas opções encontradas no mercado, o ideal é priorizar a sonoridade do instrumento.

Nem sempre instrumentos “novos” têm boa sonoridade. Ou seja, vale a pena pesquisar opções em lojas de instrumentos usados.

Antes de comprar sua flauta, converse com o professor. Certamente você receberá dicas excelentes e fará uma ótima aquisição!

 

Quanto tempo demora para tocar a primeira música?

Isso é muito relativo, pois depende de vários fatores: idade, características individuais de aprendizado, experiência musical prévia, tempo disponível para estudos individuais, interesse e motivação com relação ao curso, entre outros fatores.

Para conseguir executar as notas musicais na flauta transversal, é preciso entender a embocadura do instrumento, que se assemelha ao ato de assoprar a boca de uma garrafa para extrair sons. Para isso, é necessário treinamento, controle da respiração e persistência.

 

O que se aprende durante o curso de flauta transversal?

As aulas de flauta abrangem leitura musical, desenvolvimento da percepção auditiva (incluindo “tirar músicas de ouvido”), controle da respiração, desenvolvimento de repertório, entre outros aspectos.

O curso é personalizado e pode ser adequado às necessidades individuais de cada aluno.

 

Quais músicas vou aprender nas aulas de flauta?

O repertório pode ser livremente sugerido pelo aluno, para adequar as aulas aos seus gostos pessoais e às suas necessidades individuais. Geralmente, ao longo do curso, o professor também indica algumas peças, com o objetivo de ampliar seu conhecimento musical e trabalhar questões específicas da técnica do instrumento.

 

Vou ter que aprender Teoria Musical nas aulas de flauta transversal?

Não há a necessidade de se aprender a Teoria Musical de forma isolada, sem associação ao instrumento.

Contudo, existem conhecimentos que são abordados durante as aulas que também fazem parte do que se chama de “Teoria Musical”, como noções básicas de leitura, rítmica, solfejo, nomes das notas, etc.

Além disso, recorremos à Teoria Musical para fundamentar alguns conceitos que servirão de base para o aprendizado de novas etapas.

Não há motivos para se preocupar. Trabalhamos com abordagens contemporâneas de Educação Musical, que tornam o curso mais dinâmico, prazeroso e significativo para você.

A Escola de Música Expressarte oferece ainda o curso de Linguagem e Estruturação Musical para quem quiser complementar as aulas de flauta com noções de Leitura e Percepção Musical.

Envie sua dúvida!

Sobre estudar viola orquestral

Inicialmente, é importante esclarecer que este Curso de Viola refere-se à viola orquestral ou viola de arco.

Não confundir com Viola Caipira.

A viola de arco é um instrumento de corda friccionada, pois a vibração de suas cordas ocorre por meio de um arco de madeira. Neste arco encontram-se crinas de cavalo untadas com breu, que aumenta a aderência às cordas. No entanto, estas podem também ser tocadas com os dedos, em uma técnica denominada pizzicato.

Este instrumento, junto com o violino, o violoncello e o contrabaixo, compõe o naipe de Cordas de uma orquestra. Muitas pessoas, inclusive, a confundem com o violino, por serem visualmente muito parecidos. No entanto, se comparados, percebe-se a viola um pouco maior do que o violino. A afinação de suas 4 cordas também é diferente: LÁ, RÉ, SOL e DÓ (da mais aguda para a mais grave).

A viola é encontrada em orquestras e grupos de câmara, com mais inserção no repertório erudito do que no popular, embora este último também possa ser interpretado com o instrumento.

Ao longo do curso de viola de arco na Escola de Música Expressarte, o aluno aprende os cuidados que deve ter com o instrumento, desenvolve a percepção auditiva para encontrar a correta afinação das notas musicais e para extrair a melhor sonoridade. Recebe orientações sobre como adequar sua postura para obter uma melhor performance e desenvolve um repertório com dificuldade progressiva, personalizado aos seus gostos musicais.

Saiba mais sobre como aprender a tocar viola lendo as informações abaixo.

 

Dúvidas frequentes

É preciso ter uma viola para fazer o curso?

É possível iniciar o curso sem ter o instrumento. Conforme o aluno perceba seu desenvolvimento, naturalmente sentirá a necessidade de adquirir uma viola, para poder estudar quando quiser e de forma mais intensa, garantindo assim um melhor aproveitamento das aulas.

A Escola de Música Expressarte disponibiliza sua sala de estudos os alunos que quiserem praticar na escola, evitando assim problemas de excesso de ruído com os vizinhos, sem custos adicionais. Basta realizar um agendamento prévio com a secretaria, em horários livres da sala.

 

Durante o curso, é ensinada leitura de partitura?

Sim. Por meio da leitura musical, é possível ter acesso a praticamente todo o repertório para viola. Além disso, a escrita é uma forma de registrar lições, criações, arranjos e, assim, poder participar de grupos musicais como Orquestras, Grupos de Câmara, Bandas, etc.

Na Escola de Música Expressarte, a leitura é ensinada por associação no instrumento, junto com a prática musical (repertório) e a técnica, de maneira progressiva e prazerosa.

 

Quanto tempo demora para tocar a primeira música?

Isso é muito relativo, pois depende de vários fatores: idade, características individuais de aprendizado, experiência musical prévia, tempo disponível para estudos individuais, interesse e motivação com relação ao curso, entre outros fatores.

Em média, com 3 meses de aula, o aluno consegue executar sua primeira peça.

 

Quanto tempo por dia é preciso praticar para conseguir tocar a viola orquestral?

Isso depende dos anseios pessoais com relação ao instrumento. De modo geral, uma pessoa que deseja se profissionalizar precisa de mais tempo de dedicação do que alguém que estuda apenas por hobby.

Existem muitos mitos acerca do estudo diário, como a crença de que se deve estudar “8 horas por dia” para conseguir tocar uma música. Generalizações devem ser evitadas, pois é possível tocar uma peça simples apenas com alguns meses de estudo, desde haja regularidade na prática do instrumento (por exemplo, 3 vezes por semana, com seções de 30 minutos a 1 hora de duração). Já peças mais complexas podem realmente exigir uma dedicação maior, para que o cérebro realize todas as associações necessárias para se ter uma performance adequada.

Ao estudar o instrumento, você encontrará sua melhor rotina de estudo. Uma dedicação disciplinada pode levar você a resultados incríveis!

A Escola de Música Expressarte oferece ainda o curso de Linguagem e Estruturação Musical para quem quiser complementar as aulas de teclado com noções de Leitura e Percepção Musical.

 

Como é a aula de viola orquestral para canhotos?

Não há diferença na aprendizagem ou na técnica do instrumento: a viola será posicionada sobre o ombro esquerdo e o arco será segurado com a mão direita.

Envie sua dúvida!

Agende uma aula experimental!

Sobre estudar teclado

O teclado é um instrumento muito completo e cativante, que proporciona resultados sonoros rápidos e prazerosos.

Existe no mercado uma grande variedade de marcas e modelos, que atendem às mais diversas necessidades de produtores musicais, instrumentistas e conjuntos musicais.

O teclado pode ser comparado a uma mesa de som, onde é possível tocar músicas, criar sonoridades, simular efeitos sonoros, manipular padrões pré-gravados e, inclusive, registrar suas performances em pen-drives.

Por ter uma dimensão lúdica muito marcante e por ser de fácil adaptação, o teclado é um instrumento muito recomendado para crianças de diversas idades, com o objetivo de auxiliá-las no processo de musicalização.

 

Dúvidas frequentes

É preciso ter um teclado para iniciar o curso?

Não, é possível iniciar o curso sem ter o instrumento. Conforme o aluno perceba seu desenvolvimento, naturalmente sentirá a necessidade de adquirir um teclado, para poder estudar quando quiser e de forma mais intensa, garantindo assim um melhor aproveitamento das aulas.

A Escola de Música Expressarte disponibiliza teclados e uma sala de estudos para os alunos que quiserem praticar na escola, enquanto não têm o instrumento, sem custos adicionais. Basta realizar um agendamento prévio na secretaria, em horários livres da sala.

 

Existem muitas marcas e modelos de teclados. Qual comprar?

Antes de investir em um equipamento, é importante ter em mente quais são seus objetivos pessoais com relação ao teclado. Dentre os vários modelos do mercado, cada equipamento tem uma finalidade. Se você estiver com alguma dúvida, é fundamental conversar com um professor antes da compra, para identificar qual é o tipo de teclado mais adequado para você.

  • Teclados “controladores” são geralmente utilizados em palcos ou estúdios, conectados a outros teclados ou equipamentos, justamente para acionar e controlar os recursos destes. Dificilmente têm caixas de som próprias e não são instrumentos indicados para iniciantes.
  • Teclados “sintetizadores” são equipamentos destinados à criação de novos timbres sonoros. Geralmente têm botões que controlam e manipulam as características das ondas sonoras emitidas pelo instrumento, possibilitando assim a síntese de sonoridades inusitadas. Também não são recomendados para iniciantes.
  • Teclados “arranjadores” têm a função de simular verdadeiros conjuntos musicais ou orquestras. Em geral, possuem grandes bancos de dados com padrões rítmicos pré-gravados e uma lista imensa de instrumentos musicais que podem ser acessados e “tocados” a partir das teclas do instrumento. Muitos permitem que você grave suas performances e armazene-as em disquetes ou pen-drives. São estes os mais recomendados para iniciantes.

 

Um teclado é muito caro?

O preço médio de um teclado varia bastante, de acordo com a marca, modelo e, também, de loja para loja. É sempre bom pesquisar preços e negociar com os vendedores antes de fechar a compra.

Uma orientação interessante é adquirir um bom instrumento logo no início do curso. Isso significa um investimento na faixa de R$ 2.000,00 em média. Instrumentos muito “baratos” podem ter uma sonoridade ruim, que desestimula o aluno.

Por outro lado, equipamentos com qualidade aceitável terão, além de uma sonoridade interessante, muitos recursos para serem explorados e aprendidos durante as aulas.

Não compre por impulso ou ansiedade. Se estiver em dúvida, converse com um professor antes de efetuar a compra.

 

Quanto tempo demora para tocar a primeira música?

Isso é muito relativo, pois depende de vários fatores: idade, características individuais de aprendizado, experiência musical prévia, tempo disponível para estudos individuais, interesse e motivação com relação ao curso, entre outros fatores.

Seguindo a programação das aulas, em média, o aluno consegue executar sua primeira peça no 2º mês de aula.

 

Qual é a diferença entre o curso de teclado e o de piano?

Embora ambos os instrumentos tenham uma técnica e uma iniciação muito parecidas, os cursos acabam indo para direções diferentes conforme o aluno se desenvolve.

O curso de teclado acaba tendo foco nos recursos do equipamento, linguagem e fraseado de instrumentos musicais, produção de arranjos com utilização de diferentes instrumentos, gravação e pós-produção, etc.

Já o curso de piano, em linhas gerais, dirige-se para o desenvolvimento da mão esquerda na produção de arranjos (no caso do piano popular) e na leitura e desenvolvimento de repertório (no caso de piano erudito).

 

O que se aprende durante o curso de teclado?

As aulas de teclado abrangem leitura musical, desenvolvimento da percepção auditiva (incluindo “tirar músicas de ouvido”), noções de harmonia, formação de acordes, elaboração de arranjos musicais, linguagem e fraseado de instrumentos de orquestra, exploração dos recursos do teclado, gravação e pós-produção de performances, etc.

O curso é personalizado e pode ser adequado às necessidades individuais de cada aluno.

É importante salientar que o curso não contempla síntese sonora (manipulação de teclados sintetizadores).

 

Quais músicas vou aprender nas aulas de teclado?

O repertório pode ser livremente sugerido pelo aluno, para adequar as aulas aos seus gostos pessoais e às suas necessidades individuais. Geralmente, ao longo do curso, o professor também indica algumas peças ao aluno, com o objetivo de ampliar seu conhecimento musical e trabalhar questões específicas da técnica do instrumento.

 

Vou ter que aprender Teoria Musical nas aulas de teclado?

Não há a necessidade de se aprender a Teoria Musical de forma isolada, sem associação ao teclado.

Contudo, existem conhecimentos que são abordados durante as aulas que também fazem parte do que se chama de “Teoria Musical”, como noções básicas de leitura, formação de acordes, nomes das notas, etc.

Além disso, recorremos à Teoria Musical para fundamentar alguns conceitos que servirão de base para o aprendizado de novas etapas.

Não há motivos para se preocupar. Trabalhamos com abordagens contemporâneas de Educação Musical, que tornam o curso mais dinâmico, prazeroso e significativo para você.

A Escola de Música Expressarte oferece ainda o curso de Linguagem e Estruturação Musical para quem quiser complementar as aulas de teclado com noções de Leitura e Percepção Musical.

Envie sua dúvida!

Agende uma aula experimental!

Sobre estudar clarinete

O clarinete (ou clarineta) é um instrumento da família das madeiras, derivado do “chalumeau”.

Consiste em um cilindro aberto em ambas as extremidades, tradicionalmente fabricado em ébano; porém há modelos de metal, plástico, ebonite e granadilha. Em uma das extremidades, encontramos a boquilha (zona onde se sopra), com palheta simples. As outras partes que compõem o instrumento são: barrilete, corpo superior e inferior e campânula.

Encontramos o clarinete em diversos gêneros musicais, como música orquestral, choro, jazz, entre outros.

 

Dúvidas frequentes

É preciso ter o clarinete para iniciar o curso?

Apesar de possível iniciar o curso sem ter o instrumento, como a escola ainda não dispõe de clarinete próprio, é importante que o aluno traga seu próprio instrumento para iniciar as aulas. Assim também poderá estudar quando quiser e de forma mais intensa, garantindo assim um melhor aproveitamento das aulas.

 

Tenho o instrumento, mas não tenho um lugar para estudar. O que faço?

A Escola de Música Expressarte disponibiliza suas salas para os alunos matriculados que quiserem praticar na escola, sem custos adicionais. Basta realizar um agendamento prévio na secretaria, em horários livres.

 

Como comprar um bom clarinete?

É preciso dar bastante atenção ao momento de aquisição de seu instrumento. Diante de tantas opções encontradas no mercado, o ideal é priorizar a sonoridade do instrumento.

Nem sempre instrumentos “novos” têm boa sonoridade. Ou seja, vale a pena pesquisar opções em lojas de instrumentos usados.

Antes de comprar seu clarinete, converse com o professor. Certamente você receberá dicas excelentes e fará uma ótima aquisição!

 

Quanto tempo demora para tocar a primeira música no clarinete?

Isso é muito relativo, pois depende de vários fatores: idade, características individuais de aprendizado, experiência musical prévia, tempo disponível para estudos individuais, interesse e motivação com relação ao curso, entre outros fatores.

Para conseguir executar as notas musicais no clarinete, é preciso entender a embocadura do instrumento, que utiliza uma palheta simples. Para isso, é necessário treinamento, controle da respiração e persistência.

 

O que se aprende durante o curso de clarinete?

As aulas de clarinete abrangem leitura musical, desenvolvimento da percepção auditiva (incluindo “tirar músicas de ouvido”), controle da respiração, desenvolvimento de repertório, entre outros aspectos.

O curso é personalizado e pode ser adequado às necessidades individuais de cada aluno.

 

Quais músicas vou aprender nas aulas de clarinete?

O repertório pode ser livremente sugerido pelo aluno, para adequar as aulas aos seus gostos pessoais e às suas necessidades individuais. Geralmente, ao longo do curso, o professor também indica algumas peças, com o objetivo de ampliar seu conhecimento musical e trabalhar questões específicas da técnica do instrumento.

 

Vou ter que aprender Teoria Musical nas aulas de clarinete?

Não há a necessidade de se aprender a Teoria Musical de forma isolada, sem associação ao instrumento.

Contudo, existem conhecimentos que são abordados durante as aulas que também fazem parte do que se chama de “Teoria Musical”, como noções básicas de leitura, rítmica, solfejo, nomes das notas, etc.

Além disso, recorremos à Teoria Musical para fundamentar alguns conceitos que servirão de base para o aprendizado de novas etapas.

Não há motivos para se preocupar. Trabalhamos com abordagens contemporâneas de Educação Musical, que tornam o curso mais dinâmico, prazeroso e significativo para você.

A Escola de Música Expressarte oferece ainda o curso de Linguagem e Estruturação Musical para quem quiser complementar as aulas de clarinete com noções de Leitura e Percepção Musical. Consulte a secretaria para saber dias e horários.

Envie sua dúvida!

Leave a comment  1

Sobre estudar guitarra

Com suas primeiras aparições no jazz, em substituição ao banjo, a guitarra tornou-se muito popular com o rock, gênero onde provavelmente teve a maior inserção musical. Contudo, muitos outros instrumentos têm forte associação com este instrumento, como o blues, o country, pop, entre outros.

Atualmente, a guitarra vem se tornando “obrigatória” em praticamente qualquer conjunto musical, inclusive a MPB – Música Popular Brasileira, devido à grande diversidade de sonoridades que este instrumento é capaz de gerar: desde sons metálicos e distorcidos até sons mais suaves (clean).

O curso de guitarra contempla também o manuseio dos principais equipamentos tecnológicos associados a ela, como amplificadores, pedais, softwares, etc.

 

Dúvidas frequentes

Os cursos de violão e guitarra são parecidos?

Apesar de serem instrumentos bastante parecidos, com muitas técnicas similares, os cursos têm suas diferenças, pois existem questões específicas para cada instrumento.

Quanto ao repertório, alguns estilos musicais estão mais associados ao violão, enquanto outros estão mais associados à guitarra. Há ainda estilos em que se encontram ambos os instrumentos.

 

Tenho que primeiro aprender violão para depois estudar a guitarra?

Se sua vontade é a de realmente estudar guitarra, a recomendação da Escola de Música Expressarte é que você busque diretamente as aulas deste instrumento.

Geralmente, para crianças ou adolescentes, por questões financeiras, os pais primeiro investem em um violão para que o filho experimente seu grau de interesse com o instrumento. Apesar de ser possível iniciar o curso de guitarra estudando no violão, o ideal é que o aluno adquira uma guitarra tão logo seja possível.

 

É preciso ter uma guitarra para iniciar o curso?

É muito importante que o aluno tenha o instrumento desde o início do curso, para que perceba um desenvolvimento consistente. Contudo, isto não é fator impeditivo para iniciar as aulas. Neste caso, conforme o aluno perceba seu progresso, naturalmente sentirá a necessidade de adquirir uma guitarra, para poder estudar quando quiser e de forma mais intensa, garantindo assim um melhor aproveitamento do curso.

No caso de crianças, os pais devem investir inicialmente em uma guitarra condizente com sua estatura. Há no mercado guitarras reduzidas (três quartos), que favorecem a adaptação da criança com o instrumento.

A Escola de Música Expressarte disponibiliza guitarras e uma sala de estudos para os alunos que quiserem praticar na escola, enquanto não têm o instrumento, sem custos adicionais. Basta realizar um agendamento prévio na secretaria, em horários livres da sala.

 

Como faço para comprar uma guitarra? É um instrumento muito caro?

O preço médio de uma guitarra varia bastante, de acordo com a marca, modelo, estado de conservação, entre outros fatores. É possível começar com uma guitarra mais simples, que pode ser adquirido a preços mais acessíveis (R$ 700,00 em média), e ir trocando conforme o curso progride. Contudo, outra estratégia de investimento é adquirir um bom instrumento logo no início do curso, por questões de durabilidade e sonoridade.

Você pode comprar guitarras em lojas de instrumentos musicais, diretamente com um luthier ou ainda de particulares (para o caso de instrumentos usados). Ao escolher seu instrumento, procure valorizar a sonoridade e qualidade técnica – e não apenas a “beleza visual”.

Outra coisa que você deve ter em mente é a necessidade de adquirir também um amplificador, pois a guitarra não tem “som próprio”. Além disso, é necessário investir também em um cabo para conectar a guitarra ao amplificador.

Se você estiver com alguma dúvida, é fundamental conversar com um professor antes de efetuar a compra.

É importante ressaltar que a guitarra é um instrumento que exige a manutenção periódica de um profissional (luthier), para troca das cordas, regulagem da ponte, limpeza dos captadores e ajustes diversos.

 

Quanto tempo demora para aprender a tocar guitarra?

Isso é muito relativo, pois depende de vários fatores: idade, características individuais de aprendizado, experiência musical prévia, tempo disponível para estudos individuais, interesse e motivação com relação ao curso, entre outros fatores.

As aulas têm uma abordagem bastante prática, sendo que um dos principais objetivos do curso é fazer o aluno tocar, reproduzir as músicas das quais gosta. Por ser um curso personalizado, é perfeitamente possível adequar o repertório das aulas ao interesse e nível de desenvolvimento do aluno, de modo que se tenha, o quanto antes, a sensação prazerosa de estar tocando o instrumento.

Seguindo a programação das aulas, em média, o aluno consegue executar sua primeira peça no 2º mês de aula. Ao final do primeiro semestre de estudo, poderá se divertir bastante com o conteúdo aprendido.

 

Qual o tempo de duração do curso de guitarra?

A Escola de Música Expressarte trabalha com aulas personalizadas e adaptadas aos objetivos e interesses do aluno.

Não existe um cronograma exato a cumprir, a exemplo de conservatórios musicais ou cursos técnicos. Por este motivo, o professor estabelece desde as primeiras aulas, junto com o aluno, uma lista de objetivos com relação às aulas de guitarra. Tal programação pode ser reavaliada e alterada sempre que o aluno desejar, ou quando o professor observar que as etapas estão sendo cumpridas.

 

Vou ter que aprender leitura de partitura e teoria musical nas aulas de guitarra?

Como foi dito anteriormente, as aulas têm uma abordagem bastante prática desde o início do curso, sendo que os elementos teóricos não são prioridade nas primerias aulas. Contudo, alguma forma de leitura musical (como tablatura ou cifras), é essencial para que haja o registro de informações.

Existem conhecimentos que são abordados durante as aulas que também fazem parte do que se chama de “Teoria Musical”, como noções básicas de leitura, formação de acordes, nomes das notas, etc. Além disso, recorremos à teoria musical para fundamentar alguns conceitos que servirão de base para o aprendizado de novas etapas.

Não há motivos para se preocupar. Trabalhamos com abordagens contemporâneas de Educação Musical, que tornam o curso mais dinâmico, prazeroso e significativo para você. Isso significa que a leitura e teoria musical são ensinados já associados à prática do instrumento e o aluno será encorajado e estimulado a dominar os conceitos importantes ao seu progresso no curso.

A Escola de Música Expressarte oferece ainda o curso de Linguagem e Estruturação Musical para quem quiser complementar as aulas de guitarra com noções de Leitura e Percepção Musical. Consulte a secretaria para saber dias e horários.

Envie sua dúvida!

O que é Musicalização Infantil?

Musicalização Infantil é o processo que desenvolve a sensibilidade e a receptividade da criança ao fenômeno sonoro.

Isso ocorre por meio de estímulos musicais à sensorialidade da criança, buscando-se sempre que ela tenha uma experiência significativa e prazerosa com a Música.

Desenvolve-se o raciocínio lógico, memória, socialização, coordenação motora, percepção auditiva, entre outros aspectos fundamentais para a formação da criança.

Para crianças entre 7 e 10 anos, inicia-se a sensibilização da linguagem musical com atividades lúdicas e manipulação de instrumentos musicais.

 

Na Escola de Música Expressarte, o curso de Musicalização Infantil é dividido de acordo com a faixa etária do aluno:
Musicalização Infantil I, para crianças entre 2 e 6 anos;
– Musicalização Infantil II, para crianças de 7 a 10 anos.

 

Dúvidas frequentes

Quais os benefícios da Musicalização Infantil para as crianças?
O trabalho de musicalização promove o desenvolvimento de fatores como criatividade, instinto rítmico, coordenação motora, lateralidade, raciocínio lógico, senso estético, socialização, criatividade, expressividade, percepção auditiva e espacial, etc. A criança musicalizada é mais sensível e tem, potencialmente, a capacidade de interagir melhor com outras áreas do conhecimento.

 

Qual é a idade ideal para começar a estudar música?
Na verdade, o trabalho de musicalização pode se iniciar com bebês a partir de 8 meses. Quanto antes ocorre o contato com a Música, mais estímulos a criança recebe e, assim, cria conexões com outros assuntos, favorecendo o desenvolvimento de aspectos imprescindíveis ao desenvolvimento do ser humano, já citados acima.

 

Os pais podem auxiliar no processo de musicalização infantil de seus filhos?
Sim, os pais podem incentivar a criança a explorar os sons de seu entorno: cantando, permitindo que tenha contato com pequenos instrumentos musicais, exibindo gravações musicais, levando-a a espetáculos infantis, etc.

 

Quando meu filho irá tocar um instrumento musical?
A escolha de um instrumento musical está relacionada a um processo de identificação sonora e afetiva.
Os pais devem evitar a “auto-projeção” em seus filhos, impondo ou influenciando-os a tocar determinado instrumento.
O próprio amadurecimento da criança irá fazê-la criar um interesse próprio. E se ela não acertar de primeira, não há problema algum: é comum que experimente e interaja com algumas opções antes de fazer sua escolha final.
Geralmente esta escolha ocorre com 6 ou 7 anos, momento em que a criança adquire a linguagem escrita e termina o curso de Musicalização Infantil I.

Envie sua dúvida!

Agende uma aula experimental!

Sobre estudar cavaquinho

O cavaco – ou cavaquinho – é um instrumento de cordas que se parece ludicamente com um pequeno violão.

O instrumento tem forte presença no samba, pagode, choro e ritmos regionais brasileiros, sendo uma característica marcante na maioria destes estilos.

Pode ser usado tanto como um instrumento acompanhador quanto solista, sendo esta função muito comum em chorinhos.

 

Dúvidas frequentes

Os cursos de violão e cavaquinho são parecidos?

Apesar de serem visualmente semelhantes, com a ressalva de que o cavaquinho é bem menor do que um violão, há diferenças técnicas entre estes instrumentos, como a forma dos acordes e a afinação das cordas.

 

Quais são os nomes das cordas do cavaquinho?

A afinação mais comum no cavaquinho é, da 1ª corda (mais aguda) até a 4ª corda (mais grave): ré – si – sol – ré.

 

É preciso ter um cavaco para iniciar o curso?

É muito importante que o aluno tenha o instrumento desde o início do curso, para que perceba um desenvolvimento consistente. Contudo, isto não é fator impeditivo para iniciar as aulas. Neste caso, conforme o aluno perceba seu progresso, naturalmente sentirá a necessidade de adquirir um cavaquinho, para poder estudar quando quiser e de forma mais intensa, garantindo assim um melhor aproveitamento do curso.

A Escola de Música Expressarte disponibiliza um cavaco e uma sala de estudos para os alunos que quiserem praticar na escola, enquanto não têm o instrumento, sem custos adicionais. Basta realizar um agendamento prévio na secretaria, em horários livres da sala.

 

Como faço para comprar um cavaquinho? É um instrumento muito caro?

O preço médio de um cavaquinho varia bastante, de acordo com a marca, modelo, estado de conservação, entre outros fatores. É possível começar com um modelo mais simples, que pode ser adquirido a preços mais acessíveis (R$ 200,00 em média), e ir trocando conforme o curso progride. Contudo, outra estratégia de investimento é adquirir um bom instrumento logo no início do curso, por questões de durabilidade e sonoridade.

Você pode comprar um cavaquinho em lojas de instrumentos musicais, diretamente com um luthier ou ainda de particulares (para o caso de instrumentos usados). Ao escolher seu instrumento, procure valorizar a sonoridade e qualidade técnica – e não apenas a “beleza visual”.

Se você estiver com alguma dúvida, é fundamental conversar com um professor de cavaquinho antes de efetuar a compra.

É importante ressaltar que o cavaco é um instrumento que exige a manutenção periódica de um profissional (luthier), para troca das cordas, regulagem da altura das cordas, limpeza e ajustes diversos.

 

Quanto tempo demora para aprender a tocar cavaquinho?

Isso é muito relativo, pois depende de vários fatores: idade, características individuais de aprendizado, experiência musical prévia, tempo disponível para estudos individuais, interesse e motivação com relação ao curso, entre outros fatores.

As aulas têm uma abordagem bastante prática, sendo que um dos principais objetivos do curso é fazer o aluno tocar, reproduzir as músicas das quais gosta. Por ser um curso personalizado, é perfeitamente possível adequar o repertório das aulas ao interesse e nível de desenvolvimento do aluno, de modo que se tenha, o quanto antes, a sensação prazerosa de estar tocando o instrumento.

Seguindo a programação das aulas, em média, o aluno consegue executar sua primeira peça no 3º mês de aula. Ao final do primeiro semestre de estudo, poderá se divertir bastante com o conteúdo aprendido.

 

Qual o tempo de duração do curso de cavaquinho?

A Escola de Música Expressarte trabalha com aulas personalizadas e adaptadas aos objetivos e interesses do aluno.

Não existe um cronograma exato a cumprir, a exemplo de conservatórios musicais ou cursos técnicos. Por este motivo, o professor estabelece desde as primeiras aulas, junto com o aluno, uma lista de objetivos com relação às aulas de cavaco. Tal programação pode ser reavaliada e alterada sempre que o aluno desejar, ou quando o professor observar que as etapas estão sendo cumpridas.

 

Vou ter que aprender leitura de partitura e teoria musical nas aulas de cavaquinho?

Como foi dito anteriormente, as aulas têm uma abordagem bastante prática desde o início do curso, sendo que os elementos teóricos não são prioridade nas primeiras aulas. Contudo, alguma forma de leitura musical (como tablatura ou cifras), é essencial para que haja o registro de informações.

Existem conhecimentos que são abordados durante as aulas que também fazem parte do que se chama de “Teoria Musical”, como noções básicas de leitura, formação de acordes, nomes das notas, etc. Além disso, recorremos à teoria musical para fundamentar alguns conceitos que servirão de base para o aprendizado de novas etapas.

Não há motivos para se preocupar. Trabalhamos com abordagens contemporâneas de Educação Musical, que tornam o curso mais dinâmico, prazeroso e significativo para você. Isso significa que a leitura e teoria musical são ensinados já associados à prática do instrumento e o aluno será encorajado e estimulado a dominar os conceitos importantes ao seu progresso no curso.

A Escola de Música Expressarte oferece ainda o curso de Linguagem e Estruturação Musical para quem quiser complementar as aulas de cavaco com noções de Leitura e Percepção Musical. Consulte a secretaria para saber dias e horários.

Envie sua dúvida!

Sobre estudar violino

O violino é um instrumento de corda friccionada, pois a vibração de suas cordas ocorre por meio de um arco de madeira. Neste arco encontram-se crinas de cavalo untadas com breu, que aumenta a aderência às cordas. No entanto, estas podem também ser tocadas com os dedos, em uma técnica denominada pizzicato.

Encontramos o violino em orquestras, grupos de câmara, tanto em repertório erudito quanto em repertório popular, como em trilhas sonoras de filmes e gêneros de música popular (Rock e o Tango argentino, para citar alguns exemplos).

Ao longo do curso de violino na Escola de Música Expressarte, o aluno aprende os cuidados que deve ter com o instrumento, desenvolve a percepção auditiva para encontrar a correta afinação das notas musicais e para extrair a melhor sonoridade. Recebe orientações sobre como adequar sua postura para obter uma melhor performance e desenvolve um repertório com dificuldade progressiva, personalizado aos seus gostos musicais.

Saiba mais sobre como aprender a tocar violino lendo as informações abaixo.

 

Dúvidas frequentes

É preciso ter um violino para fazer o curso?

Não, é possível iniciar o curso sem ter o instrumento. Conforme o aluno perceba seu desenvolvimento, naturalmente sentirá a necessidade de adquirir um violino, para poder estudar quando quiser e de forma mais intensa, garantindo assim um melhor aproveitamento das aulas.

A Escola de Música Expressarte disponibiliza um violino e uma sala de estudos para os alunos que quiserem praticar na escola, enquanto não têm o instrumento, sem custos adicionais. Basta realizar um agendamento prévio com a secretaria, em horários livres da sala.

 

Durante o curso, é ensinada leitura de partitura?

Sim. Por meio da leitura musical, é possível ter acesso a praticamente todo o repertório para violino. Além disso, a escrita é uma forma de registrar lições, criações, arranjos e, assim, poder participar de grupos musicais como Orquestras, Grupos de Câmara, Bandas, etc.

Na Escola de Música Expressarte, a leitura é ensinada por associação no instrumento, junto com a prática musical (repertório) e a técnica, de maneira progressiva e prazerosa.

 

Quanto tempo demora para tocar a primeira música?

Isso é muito relativo, pois depende de vários fatores: idade, características individuais de aprendizado, experiência musical prévia, tempo disponível para estudos individuais, interesse e motivação com relação ao curso, entre outros fatores.

Em média, com 3 meses de aula, o aluno consegue executar sua primeira peça.

 

Quanto tempo por dia é preciso praticar para conseguir tocar o violino?

Isso depende dos anseios pessoais com relação ao instrumento. De modo geral, uma pessoa que deseja se profissionalizar precisa de mais tempo de dedicação do que alguém que estuda apenas por hobby.

Existem muitos mitos acerca do estudo diário, como a crença de que se deve estudar “8 horas por dia” para conseguir tocar uma música. Generalizações devem ser evitadas, pois é possível tocar uma peça simples apenas com alguns meses de estudo, desde haja regularidade na prática do instrumento (por exemplo, 3 vezes por semana, com seções de 30 minutos a 1 hora de duração). Já peças mais complexas podem realmente exigir uma dedicação maior, para que o cérebro realize todas as associações necessárias para se ter uma performance adequada.

Ao estudar o instrumento, você encontrará sua melhor rotina de estudo. Uma dedicação disciplinada pode levar você a resultados incríveis!

A Escola de Música Expressarte oferece ainda o curso de Linguagem e Estruturação Musical para quem quiser complementar as aulas de violino com noções de Leitura e Percepção Musical. Consulte a secretaria para saber dias e horários.

 

Como é a aula de violino para canhotos?

Não há diferença na aprendizagem ou na técnica do instrumento: o violino será posicionado sobre o ombro esquerdo e o arco será segurado com a mão direita.

 

Se você procura por aulas de violino na Zona Oeste de SP, estamos na região da Lapa SP, próximos a Perdizes, Pinheiros, Jaguaré, Butantã, Alto de Pinheiros, Vila Leopoldina, Pompeia, Sumaré, Sumarezinho, Vila Hamburguesa, Vila Ipojuca, Lapa de Baixo, City Lapa, Alto da Lapa, Vila Anastácio, Vila Madalena e Bela Aliança.

Venha aprender a tocar violino.

Envie sua dúvida!

Agende uma aula experimental!

Leave a comment  1

Sobre estudar bateria

A bateria é, na verdade, a reunião de diversos instrumentos de percussão: pratos, tambores e caixa. Cada um destes exige uma técnica diferente para ser percutido – seja com as mãos, seja com os pés.

Coordenação motora e desenvolvimento rítmico são dois aspectos essenciais a serem desenvolvidos durante as aulas de bateria.

O curso é didaticamente preparado para que o aluno progrida de maneira prazerosa.

 

Dúvidas frequentes

A bateria parece exigir muita coordenação motora! É o instrumento mais difícil de tocar?

Cada instrumento tem suas características e desafios. Por este motivo, é difícil classificá-los em “mais fáceis” ou “mais difíceis” de serem tocados. Afinal, isso depende também da experiência musical de cada um.

Com relação à coordenação motora, as aulas de bateria na Escola de Música Expressarte têm uma sequência progressiva de desenvolvimento. Parte-se do lado motor de maior facilidade do aluno (alunos destros iniciam com o lado direito e alunos canhotos, com o lado esquerdo) e novos desafios vão sendo apresentados de acordo com o aproveitamento individual, sempre respeitando o tempo de aprendizado de cada um. Ilustrações e leituras musicais vão sendo inserida para auxiliar o aluno em seu aperfeiçoamento.

 

Como funciona a “leitura” na bateria? Bateria também tem partitura?

Como qualquer instrumento, a bateria tem partitura sim.

Não é uma partitura idêntica à do piano, por exemplo, mas também utiliza uma pauta de 5 linhas e os “sons graves” são escritos abaixo dos “sons agudos”

 

É preciso ter uma bateria em casa para poder iniciar o curso? É caro comprar uma bateria?

Não é preciso ter uma bateria em casa para iniciar o curso.

Conforme o aluno perceba seu desenvolvimento, naturalmente sentirá a necessidade de adquirir um instrumento, para poder estudar quando quiser e intensificar os estudos, garantindo assim um melhor aproveitamento das aulas.

A Escola de Música Expressarte disponibiliza duas baterias na sala e uma sala de estudo para os alunos que quiserem praticar na escola, enquanto não têm o instrumento, sem custos adicionais. Basta realizar um agendamento prévio com a secretaria, em horários livres da sala.

O preço médio de uma bateria varia bastante, de acordo com a marca, modelo, quantidade e qualidade de peças, entre outros fatores. É possível começar por uma bateria mais simples e ir trocando conforme o curso progride. Contudo, outra estratégia de investimento é adquirir um bom instrumento logo no início do curso, por questões de durabilidade e sonoridade. Além disso, atualmente existem baterias eletrônicas, que ocupam menos espaço e têm regulagem de volume (com a possibilidade de se tocar com fones de ouvido), mas existem grandes diferenças entre o instrumento acústico e o eletrônico. Por isso, é fundamental conversar com o professor para uma assessoria adequada neste investimento.

Envie sua dúvida!

Leave a comment  1
Olá, posso ajudar?
Powered by