Sobre estudar bateria

A bateria é, na verdade, a reunião de diversos instrumentos de percussão: pratos, tambores e caixa. Cada um destes exige uma técnica diferente para ser percutido – seja com as mãos, seja com os pés.

Coordenação motora e desenvolvimento rítmico são dois aspectos essenciais a serem desenvolvidos durante as aulas de bateria.

O curso é didaticamente preparado para que o aluno progrida de maneira prazerosa.

 

Dúvidas frequentes

A bateria parece exigir muita coordenação motora! É o instrumento mais difícil de tocar?

Cada instrumento tem suas características e desafios. Por este motivo, é difícil classificá-los em “mais fáceis” ou “mais difíceis” de serem tocados. Afinal, isso depende também da experiência musical de cada um.

Com relação à coordenação motora, as aulas de bateria na Escola de Música Expressarte têm uma sequência progressiva de desenvolvimento. Parte-se do lado motor de maior facilidade do aluno (alunos destros iniciam com o lado direito e alunos canhotos, com o lado esquerdo) e novos desafios vão sendo apresentados de acordo com o aproveitamento individual, sempre respeitando o tempo de aprendizado de cada um. Ilustrações e leituras musicais vão sendo inserida para auxiliar o aluno em seu aperfeiçoamento.

 

Como funciona a “leitura” na bateria? Bateria também tem partitura?

Como qualquer instrumento, a bateria tem partitura sim.

Não é uma partitura idêntica à do piano, por exemplo, mas também utiliza uma pauta de 5 linhas e os “sons graves” são escritos abaixo dos “sons agudos”

 

É preciso ter uma bateria em casa para poder iniciar o curso? É caro comprar uma bateria?

Não é preciso ter uma bateria em casa para iniciar o curso.

Conforme o aluno perceba seu desenvolvimento, naturalmente sentirá a necessidade de adquirir um instrumento, para poder estudar quando quiser e intensificar os estudos, garantindo assim um melhor aproveitamento das aulas.

A Escola de Música Expressarte disponibiliza duas baterias na sala e uma sala de estudo para os alunos que quiserem praticar na escola, enquanto não têm o instrumento, sem custos adicionais. Basta realizar um agendamento prévio com a secretaria, em horários livres da sala.

O preço médio de uma bateria varia bastante, de acordo com a marca, modelo, quantidade e qualidade de peças, entre outros fatores. É possível começar por uma bateria mais simples e ir trocando conforme o curso progride. Contudo, outra estratégia de investimento é adquirir um bom instrumento logo no início do curso, por questões de durabilidade e sonoridade. Além disso, atualmente existem baterias eletrônicas, que ocupam menos espaço e têm regulagem de volume (com a possibilidade de se tocar com fones de ouvido), mas existem grandes diferenças entre o instrumento acústico e o eletrônico. Por isso, é fundamental conversar com o professor para uma assessoria adequada neste investimento.

Envie sua dúvida!

Share this post on: