Percussão e Cavaquinho

Próximo do universo musical desde cedo, Lello Di Sarno teve a Escola de Música Allegro, de sua mãe, como sua segunda casa. Aos sete já tocava piano, influenciado por seu irmão Fabrizio Di Sarno, pianista, compositor e arranjador. Aos 12, interessado pela percussão, dedicou-se ao estudo da bateria, instrumento com o qual anos mais tarde cursou bacharelado na Faculdade das Artes Alcântara Machado, da FMU. A influência de seu tio, o violonista Cícero Gallinari do grupo “Chorando em São Paulo”, foi decisiva para a escolha do cavaquinho como instrumento de composição.

De lá para cá, Lello fundou os grupos “Unidos de Vai Como Pode”, que obteve grande sucesso de público e “Inquilinos do Universo”, com o qual se apresenta nas mais importantes casas de samba de São Paulo, como o Bar Brahma e Traço de União.

Também participa ativamente do carnaval paulista, como integrante do G.R.S.C.E.S. Pérola Negra, participante da Ala Musical e compositor do hino da Velha Guarda do G.R.C.S. Águia de Ouro. É também presidente da Ala dos Compositores do Bloco Unidos Venceremos, que há 11 anos leva às ruas de São Paulo seu carnaval independente.

Em 2012 desenvolveu o projeto “O Samba de Ontem e De Hoje Pelo Samba de Amanhã” ao lado de Toinho Melodia, importante compositor da Velha Guarda do Samba de São Paulo. Em 2013 foi a vez do Clube da Consideração, projeto de samba que firmou parceria com importantes movimentos sociais, realizando melhorias em diversas comunidades de São Paulo.

Atualmente Lello é bicampeão do Concurso de Marchinha do Bloco “Nóis Trupica Mais Não Cai”, realizado na Vila Madalena. Suas composições “É Muita Treta” e “Rebelde da Galileia” levaram o primeiro prêmio na categoria voto popular por dois anos seguidos. Em 2016 venceu o concurso de marcha-rancho do “Ó do Borogodó” com a canção “Ah, o Carnaval” superando renomados compositores brasileiros. Algumas de suas músicas gravadas por outros artistas são “Juju” do disco “Atrás da Boleia – Brazilian Grooves” do trombonista e maestro Zeka Lopez (lançado na França), “Samba Bandido” do disco “Semente do Samba” da cantora Flavia Oliveira, “Samba dos Meninos” e “Kung Futebol” do disco “Tudo Verde” de Caio Falcão.

Atualmente Lello se dedica aos shows do seu primeiro disco só de composições autorais “O Samba Bandido de Lello Di Sarno”.

Share this post on: